terça-feira, 10 de julho de 2012

Arquitetos Famosos - Kenzo Piano



Renzo Piano



Renzo Piano é um arquiteto italiano partidário da arquitetura high-tech, sua obra mais conhecida é o Centro Georges Pompidou, em Paris. Licenciou-se em 1964 na Escola de Arquitetura do Instituto Politécnico deMilão. Enquanto estudante, trabalhou num projeto sob a orientação de Franco Albini, visitando regularmente os edifícios que o seu pai coordenava, visto que este trabalhava no ramo da construção civil. Entre 1965 e 1970, terminou sua formação e realizou algumas experiências de trabalho através de viagens de estudo à Grã-Bretanha e América. É nessa altura que Renzo Piano conhece Jean Prouve, que se tornou seu grande amigo. Em 1970, Piano fundou a agência “Piano & Rogers" com Richard Rogers, seu sócio no projeto do Centro Pompidou em Paris. Mais tarde, em 1977, fundou o ateliê “Piano & Rice" juntamente com Peter Rice, uma personalidade profissional que havia trabalhado com Renzo Piano em muitos projetos, parceria esta que se prolongou até à data do seu falecimento, em 1993.


Academia de Ciências da Califórnia



A Academia de Ciência da Califórnia é uma referência no uso de tecnologias sustentáveis para estruturas de uso público, o prédio reúne numa só estrutura: Aquário, Planetário, Museu de História Natural, floresta tropical indoor, além do telhado verde, que é composto por mais de um milhão de mudas nativas e selvagens, responsáveis por amenizar a temperatura no interior do prédio e pela absorção de 60% da água da chuva. O telhado é composto por janelas que possuem sensores de temperatura, com isso não é necessário o uso de um sistema de ar refrigerado central.


Centro Cultural Jean-Marie Tjibaou







O Centro Cultural Jean-Marie Tjibaou foi concebido pelo arquiteto italiano Renzo Piano com a finalidade de comemorar o genuíno Kanak (também, Canaque), cultura da Nova Caledónia. Localizado em uma península de Nouméa, na Ilha de Nova Caledonia, Austrália, foi inaugurado em 1998. O centro é composto de 10 unidades de diferentes tamanhos e funções, com a forma de concha posicionada verticalmente, assemelhando-se às tendas tradicionais da Nova Caledônia. Sua aparência de inacabado é um lembrete de que a cultura Kanak ainda está em processo de formação.

Maison Hermès





A Maison Hermès, em Tokyo, projetada por Renzo Piano é a sede da empresa no Japão.
Seu edifício de 13 andares, além da loja, possui escritórios, oficinas, espaço para exposições, área de multimídia e um jardim no terraço. Tem acesso ao metrô através do pátio que divide a fachada em dois.
É uma simples e elegante forma retangular, inteiramente revestida por blocos de vidro de 45cmX45cm, que o arquiteto se inspirou nas tradicionais lanternas japonesas.

London Bridge Tower (The Shard)



The Shard está localizado em Southwark, é adjacente à estação London Bridge, essa proximidade da estação facilita o acesso ao prédio, o que é muito importante, pois o edifício foi concebido como uma pequena cidade vertical, na qual dezenas de milhares de pessoas trabalharão. 
A torre The Shard, com 310 metros de altura, será inaugurada em Londres na quinta-feira (5). O arquiteto Renzo Piano é o responsável pelo projeto do edifício mais alto da Europa Ocidental, com 72 andares divididos entre escritórios, um hotel, restaurantes e residências. A torre ainda possui outros 23 andares inabitáveis.





Do 2º ao 28º andar, ficará os escritórios, enquanto os restaurantes ocuparão do 31º ao 33º andar. O Shangri-la Hotel será dividido em 18 andares, do 34º ao 52º. A parte residencial ficará do 53º ao 65º, enquanto o espaço de visitação para a vista panorâmica da cidade ocupará os andares restantes. Uma simulação da vista do alto da torre está disponível no site da The Shard.
Chamada de cidade vertical, a torre tem um formato triangular desde sua base. A fachada é composta por vários "cacos de vidros" - o que inspirou o nome do edifício.  Cada faceta possui um caco suavemente inclinado e subindo em direção ao topo. Os cantos das fachadas estão abertos e os fragmentos não se tocam, permitindo que a construção "respire".
A inspiração para a forma vem das mãos das igrejas de Londres e as velas em cima dos navios que foram utilizados para atracar no Tamisa. O plano é gerado pela natureza irregular do terreno. Cada fachada é um fragmento, um plano suavemente inclinado de vidro dentro, os cantos estão abertos e as peças não se tocam, isso permite a construção de respirar sem problema.




A torre foi executada em aço, mas com núcleo central em concreto. Em abril, foi instalada a última peça de aço da torre. Na última etapa da obra, ergueu-se 500 toneladas de aço até o topo. Para isso, foram necessários 100 guindastes. Nesta última etapa também foram colocados os últimos 516 painéis de vidro da fachada, totalizando 11 mil painéis na torre inteira.
A The Shard ainda possui 44 elevadores (individuais e de dois andares) e acesso direto à estação de metrô London Bridge.
A construção da torre faz parte do projeto de desenvolvimento da região da Ponte de Londres. A obra foi gerida pela Turner & Townsend e executada pela Mace. O projeto estrutural é do Grupo WSP.



CENTRO GEORGES POMPIDOU  PARIS, FRANÇA, 1971-77




RESTAURAÇÃO DO PORTO ANTIGO  GÊNOVA, ITALIA, 1988-2001









TERMINAL DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE KANSAI  OSAKA, JAPÃO, 1988-94








MUSEU MENIL COLLECTION  HOUSTON, TEXAS, EUA, 1982-87






RESTAURAÇÃO E AMPLIAÇÃO MORGAN LIBRARY  NOVA YORK, EUA, 2006-2006






AUDITÓRIO PARQUE DA MÚSICA  ROMA, ITÁLIA, 1994-2002 







 THE NEW YORK TIMES  NOVA YORK, EUA, 2000-2007






ESPAÇO LITÚRGICO PARA O PADRE PIO  SAN GIOVANNI ROTONDO, ITALIA, 1991-2004



 


The Aquarium




0 comentários:

Postar um comentário

Agradecemos por sua participação. Volte sempre.