quarta-feira, 11 de julho de 2012

Arquitetos Famosos - Gaudí


Antoni Gaudí


Antoni Placid Gaudí i Cornet (25 de junho de 1852 — Barcelona, 10 de junho de 1926) foi um arquiteto catalão, um dos símbolos da cidade de Barcelona, onde se educou e passou grande parte da vida. Aparece como um arquiteto de novas concepções plásticas ligado ao modernismo catalão.


              
Características de sua arquitetura:
*Inspiração em elementos e formas da natureza.
*Colunas inclinadas são uma de suas marcas estilísticas.
*Escolhas baseadas nas reflexões de ordem estática e mecânica, e não motivos geométricos.
*Fusão entre arquitetura, mobiliário e decoração.
*Referências e símbolos nacionais nas obras.
*Elementos que remontam ao sagrado.
*Utilização de cúpula parabólica.
*Projetos ricos em detalhes, nuances, volumes, jogos de luz  e cores.

Galdí



Casa Vicens



A Casa Vicens (1883-1888) é uma casa de Verão desenhada por Antoní Gaudí, encomendada pelo dono de uma fábrica de tijolos e fabricante de azulejos, Manuel Vicens. Fica localizada na Calle les Carolines, nº 24, na cidade de Barcelona, na Espanha.
O jovem arquitecto não tinha ainda nenhuma experiência prática, e, quando Gaudí começou a construção do edifício, em 1883, já atrasada, antes apenas executara trabalhos no domínio das obras públicas, não tendo, por isso, nenhuma experiência na construção de casas de habitação. Além disso, não se tratava duma tarefa fácil, pois o terreno não era grande e a casa ia integrar-se num ambiente de construções relativamente convencionais.



El Capricho



El Capricho é um edifício projectado em 1883 pelo arquiteto catalão Antoni Gaudí e construído sob a direção do arquiteto Cascante Colom em Comillas, Cantábria.



Tempo Expiatório da Sarada Família



Também conhecido simplesmente como Sagrada Família, é um grande templo católico da cidade catalã de Barcelona (Espanha), desenhado pelo arquiteto catalão Antoni Gaudí, e considerado por muitos críticos como a sua obra-prima e expoente da arquitetura modernista catalã. Financiado unicamente por contribuições privadas, o projeto foi iniciado em 1882 e assumido por Gaudí em 1883, quando tinha 31 anos de idade, dedicando-lhe os seus últimos 40 anos de vida, os últimos quinze de forma exclusiva. A construção foi suspensa em 1936 devido à Guerra Civil Espanhola e não se estima a conclusão para antes de 2026, centenário da morte de Gaudí.



Palau Güell



Pálácio Güell é um palácio localizado na cidade de Barcelona, Espanha. Construído entre 1885 e 1889, foi desenhado por Antoni Gaudí para Eusebi Güell, seu principal cliente.




Colégio Teresiano


Ou Colégio das Teresianas é um edifício da autoria do arquiteto modernista Antoni Gaudí, construído entre 1888 e 1889. Situado na antiga localidade de Sant Gervasi de Cassoles (atualmente incorporada nodistrito de Sarrià-Sant Gervasi de Barcelona), foi encomendado pelo padre Enric d'Ossó i Cervelló para alojar um colégio e o convento da Companhia de Santa Teresa de Jesus, que ele próprio havia fundado. Em 1969, foi nomeado Monumento Histórico Artístico de Espanha.


 Um dos corredores do colégio

Palácio Episcopal de Astorga



Está situado na cidade de Astorga, a uma distância relativamente curta de Leão, onde se encontra a Casa Botines. A construção foi executada entre 1889 e 1913.



Botines



A Casa Botines, Casa de Botines, Casa dos Botines, ou simplesmente Botines, (cujo verdadeiro nome é Casa Fernández-Andrés) Situa-se em Leão, Espanha e foi construído de 1892 a 1893.


Parque Güell

Parque Güell






É um grande parque urbano com elementos arquitetónicos situado no distrito de Gràcia da cidade de Barcelona, na vertente virada para o Mar Mediterrâneo do Monte Carmelo, não muito longe do Tibidabo. Originalmente destinado a ser uma urbanização, foi concebido pelo arquiteto Antoni Gaudí, expoente máximo do modernismo catalão, por encomenda do empresário Eusebi Güell. Construído entre 1900 e 1914, revelou-se um fracasso comercial e foi vendido aoMunicípio de Barcelona em 1922, tendo sido inaugurado como parque público em 1926. Em 1969 foi nomeado Monumento Histórico Artístico de Espanha, e em 1984 foi classificado pela UNESCO como Património da Humanidade, incluído no sítio Obras de Antoni Gaudí. No recinto do parque, numa casa onde Gaudí morou durante quase vinte anos, funciona desde 1963 a Casa-Museu Gaudí, cujo acervo inclui objetos pessoais e obras de Gaudí e de alguns dos seus colaboradores. 



O parque foi concebido por Güell e Gaudí como um conjunto estruturado onde, dentro de um incomparável quadro de beleza natural, se situariam habitações de luxo, com todos os progressos tecnológicos da época e acabamentos de grande qualidade artística. Não se sabe ao certo o que Güell e Gaudí pretendiam alcançar, visto que não restam registos a esse respeito, mas parece óbvio que o parque se destinava a um grupo seleto e não ao público em geral, e que está recheado de referências a ideias, fantasias e ideais que eram importantes para ambos, como o catalanismo político e areligião católica, em todo caso com um certo caráter misterioso devido ao gosto da época por enigmas e adivinhas. 

 

O Parque Güell é um reflexo da plenitude artística de Gaudí; pertence à sua etapa naturalista (década de 1900), período no qual o arquiteto catalão aperfeiçoou o seu estilo pessoal, inspirando-se nas formas orgânicas da natureza e pondo em prática uma série de novas soluções estruturais originadas na sua análise da geometria regrada.




 

Uma das características mais marcantes do Parque Güell é o contraste entre as texturas e cores dos diferentes materiais de construção (cerâmica brilhante e multicolorida versus pedra rústica castanha), tão apreciado pelos arquitetos modernistas

Casa Calvet



 
A Casa Calvet é um edifício desenhado por Antoni Gaudí situado na cidade de Barcelona,Espanha.
O edifício, de cinco andares, situa-se no número 48 da Rua Casp, no Eixample de Barcelona. Construiu-se entre 1898 e 1900, contando Gaudí com a colaboração de Francesc Berenguer, Joan Rubió e Juli Batllevell
O edifício foi realizado para um fabricante têxtil (filhos de Pedro Mártir Calvet), e serviu tanto para o negócio, ao qual se destinaram o piso térreo e a cave, como para habitação nos pisos superiores, sendo a residência principal, do proprietário, muito mais luxuosa. Muitos dos especialistas na obra de Gaudí consideram a Casa Calvet como a obra mais conservadora do arquiteto. Segundo eles, a explicação está em que, por um lado, Gaudí teve de encaixar o edifício entre outros mais velhos já existentes e, por outro, levar em conta o fato de ficar situado num bairro elegante.
Efetivamente, a simetria, o equilíbrio e a ordem que caracteriza a Casa Calvet não são habituais na obra de Gaudí. Porém, existem elementos modernistas como, por exemplo, as duas seções de fachadas terminadas em curvas na coberta, a varanda envidraçada que sobressai acima da entrada ou a forma das demais varandas. As colunas que flanqueiam a entrada recordam a bobinas de fio, e constituem uma alusão ao negócio têxtil de Calvet.


A fachada é de pedra de cantaria de Montjuïc, enfeitada com varandas de ferro forjado e terminada por umas estruturas trilobuladas, três invertidas e duas sobressalentes, coroadas com cruzes de ferro de forja.

Casa Batló




A Casa Batlló é um edifício, situado no nº 43 do Paseo de Grácia, na chamada Ilha da Discórdia, num bairro modernista da cidade de Barcelona. Foi construída no período 1875 a 1877.
Por volta de 1900 o arquitecto Antoni Gaudí é contratado pelo proprietário Don José Batló Casanovas para projetar um novo edifício para o local, demolindo o existente. No entanto, tempos depois, o proprietário mudou de ideias e optou por uma reforma, executada pelo arquiteto no período de 1904 a 1906.
A fachada principal, tal como o interior do edifício, captam a atenção do espectador com os inúmeros detalhes e as originais ondulações do telhado e dos balcões, que parecem simplesmente brotar da parede plana.
Em Barcelona, a casa é conhecida como A Casa dos Ossos, devido ao formato dos balcões exteriores, que se assemelham a um crânio.




Casa Milà




O edifício não possui quaisquer linhas rectas. A maioria das pessoas considera-o magnífico e arrebatador; alguns dizem que se parece a ondas de lava ou a uma duna de areia. O edifício parece desafiar o nosso conceito de arquitectura convencional. O aspecto mais impressionante é o telhado, com uma aparência quase lunar ou de sonho.


O edifício pode ser considerado mais uma escultura do que um edifício convencional. Os críticos salientam a ausência de preocupação com a utilidade, mas outros consideram-no como arte. Os habitantes da cidade da altura consideravam-no feio, daí a alcunha de "pedreira", mas hoje em dia é um dos marcos da cidade.
Pode ser comparado com as pareces íngremes com que as tribos africanas constroem as suas habitações, semelhantes a cavernas. A fachada ondulada, com largos poros, lembra um praia ondulante de areia fina, formada, por exemplo, por uma duna. Os favos feitos por abelhas atarefadas também salta à ideia do observador que olha para os altos e baixos, semelhantes a cobras, que percorrem o edifício inteiro.


Cripta da Colónia Güell




A Cripta da Colónia Güell (1898-1917) fica situada no meio do bairro operário Santa Coloma de Cervelló, a sul de Barcelona, Espanha. Fundado por Eusebi Güell em 1898, vê-se ainda hoje apenas a parte que normalmente não se vê nas igrejas: a cripta. Mas este fragmento é de tal maneira genial que pode ser considerado uma das obras-primas de Gaudí. 















0 comentários:

Postar um comentário

Agradecemos por sua participação. Volte sempre.